Como Calcular Estoque de Segurança em 3 Passos

O Que é Andragogia e Como Ela Pode Te Ajudar a Treinar Sua Equipe?

Nós já ensinamos o que é o estoque de segurança, você lembra? Ele é essencial para uma boa gestão, principalmente quando o assunto são lojas de varejo. O termo, também conhecido como estoque mínimo, é a quantidade mínima de produtos que devem estar em estoque para evitar que vendas sejam perdidas. Hoje vamos ensinar como calcular estoque de segurança para você não ter problemas com a falta de produtos para pronta entrega.

É essencial que você conte com essa margem em sua loja de varejo para ser capaz de lidar com flutuações de demanda intrínsecas ao mercado, principalmente no atual cenário em que vivemos.

Como calcular estoque de segurança

Para calcular estoque de segurança é preciso, primeiro, compreender alguns conceitos básicos de logística e gestão. Depois disso, basta realizar uma análise de demanda e fazer o cálculo propriamente dito.

1. Compreendendo o conceito de lead time

O lead time, termo em inglês para “tempo de entrega”, é parte essencial da equação de estoque de segurança. Ele diz respeito ao tempo decorrido entre o pedido realizado pelo cliente e a entrega de seu produto no ponto final.

Estão compreendidos dentro do lead time o tempo de reposição de itens e também o tempo necessário para deixar o produto disponível para entrega ao consumidor. Para a realização do cálculo, o lead time deve estar em dia.

2. Compreendendo o conceito de demanda média

A demanda é a quantidade de determinado bem que os consumidores desejam adquirir. Calcular a demanda média pode variar bastante de produto para produto. Se ela for estável, torna-se muito mais fácil prevê-la. Se houver muita variação, o estoque de segurança deve ser maior. Caso contrário, pode ser menor.

3. Realizando o cálculo

A fórmula para calcular estoque de segurança é:
Estoque de segurança = demanda média (quantidade de vendas/dia) x lead time (em dias).

Basta substituir todas as informações que você recolheu ao longo deste artigo em seu respectivo local dentro do cálculo. O resultado será a quantidade mínima de produtos que você precisa ter em estoque para ser capaz de lidar com as flutuações de demanda sem prejudicar seu caixa. Além disso, sem correr o risco de acabar com os produtos encalhados e torná-los cada vez mais obsoletos.

Para mais dicas de logística e gestão continue acompanhando o blog da Mixtel!